Arquivo da tag: Responsabilidade Animal

Carne: Qual seu custo para a Sociedade?

Carne: Qual seu custo para a Sociedade?

Fonte Sociedade Vegetariana Brasileira
Projeto Gráfico Comunicação SVMA

Anúncios

Deixe um comentário

26 de junho de 2013 · 1:06 AM

Delegacia para Animais! Isso sim é uma grande conquista, mas precisamos de muito mais…

A realidade do Brasil é muito triste!

De cada 10, apenas 1 animal tem chances de ter um lar.

Desses nove que sobram nas ruas, muitos deles são maltratados por pessoas que não possuem bom senso e amor no coração!

Perante a lei, maltratar um animal pode levar uma pessoa a prisão de 3 meses até 1 ano, mas estes maus tratos nunca foram muito fiscalizados.

E é por isso que a Pet Med tem o orgulho e alegria de divulgar que foi criada a 1ª Delegacia só para casos de maus tratos aos animais.

Clique na imagem abaixo e saiba mais sobre esta ótima notícia.

Captura de tela inteira 02052013 151513.bmp

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos, Campanha Responsabilidade Animal, Divulgação

Homenagem dos Vereadores para a presidente da Pet Med “Luciana Gomes Bragion”

Nesta segunda-feira (15/04/2013), Luciana Gomes Bragion foi homenageada pela Câmara de Vereadores de Rio das Pedras.

Homenagem final

Luciana, que já desenvolve junto a PET MED a campanha S.O.S. Responsabilidade Animal, pediu para que os vereadores desenvolvam projetos visando a qualidade de vida dos animais da cidade.

Deixe um comentário

Arquivado em Campanha Responsabilidade Animal, Divulgação

Declaração Universal dos Direitos dos Animais!

É muito fácil nos dias de hoje encontrar uma grande parte da população falando dos animais;

Com o advento das redes sociais, a demonstração de afeto pelos nossos queridos amigos mostram a importância que é ter um animalzinho dentro de nossas residências.

Por outro lado, também joga diariamente em nossa rotina, tantos e tantos outros animais que não possuem esta mesma sorte.

images

Já foi digo em postagens anteriores a relação dos sortudos, de cada 10 animais apenas um tem chance de sobreviver e encontrar um lar.

Este número é muito triste, e então a Pet Med faz um apelo. Tenham uma posse responsável! Cuidem dos animais como se fossem seus próprios filhos. E ao ver algum animal passeando solitário, lembrem-se que você pode ser a única esperança dele.

Sabemos que não podemos mudar o mundo, mas também devemos saber o quanto podemos ajudar!

images (3)

Falando sobre a legislação, temos:

1) A Declaração Universal dos Direitos dos Animais, proclamada pela UNESCO em 1978, teve o reconhecimento do valor da vida de todo ser vivo, de sua dignidade, respeito e integridade dos animais.

2) No Brasil podemos citar a Constituição Federal de 1988 em seu artigo 225 que proibe atos de crueldade contra os animais e a Lei nº 9605 de 1998 que define os Crimes Ambientais, além de algumas leis esparsas, demonstrando o interesse crescente pelos direitos dos animais.

A Pet Med faz a sua parte e você também pode ajudar de duas formas:

1) Posse responsável, castração, abrigando animais de rua, dando uma vida digna aos animais.

2) Se não tem como ajudar cuidando de um animal, podemos ajudá-lo com isso, veja nossa campanha: https://petmed.wordpress.com/divulgacao-de-doacoes/

1 comentário

Arquivado em Campanha Responsabilidade Animal, Divulgação, Saúde Animal

Super Pet – A História de superação de Lugano, seus irmãos e seus pais! Mais uma da Pet Med!

Por Leandro Toledo

A minha história não é muito triste, mas sim uma história de superação e de um amor desconhecido, pelo menos para mim. Ah, e em meio a isso tudo, salvamos uma meia dúzia de gatinhos!

Inicialmente gostaria de frisar que nasci e cresci num macro ambiente em que ninguéééém que eu conhecia tinha gato. Também, quando criança, sempre escutei que gato não era amigo de “Deus”. Quando “Deus” estava na “cruz” e sentiu sede, o cachorro deu água para ele, mas o gato urinou no copo de água e deu para “Deus” beber.

Memória fértil de criança, claro!, mas isso fez com que eu nunca tivesse muita “simpaticicidade” pelos pobrezinhos. Eu simplesmente vivia apartado deles.

Junte a isso o fato de eu ter uma enorme alergia dos “béchános”…e quem me conhece, sabe que estou falando a verdade. A garganta empipocava toda, chegava a dar falta de ar, os olhos pareciam que estavam com areia…era um verdadeiro “qui-pro-có”.

Pois bem, posto isto, vamos aos fatos.

Eu e minha esposa costumávamos fazer caminhada toda manhã em um condomínio de terrenos que ainda está em construção. É, portanto, um local não habitado.

No dia 17 de abril de 2012, ao darmos a 1ª volta no percurso, logo topamos com uma caixa de papelão. Imaginem o tamanho do nosso susto ao nos ver sendo seguidos por 6 gatinhos ABANDONADOS de +- 1 mês de idade. Foi um susto mesmo!!! Bom, aí acabou a caminhada e a calma, e deu-se início a um enorme desespero. Eu estava lá, com dó e cara de pirulito, e minha esposa estava desesperada, pois ela e sua família sempre tiveram muuuuuitos gatos, e ela sabia o trabalho que iria dar para doarmos todos os 6 gatinhos.

Mas não tivemos dúvidas….sequer titubeamos! Os colocamos na caixa de papelão, tampei com minha blusa de frio e fomos para casa, mais de 1 km distante dali, a pé, perguntando nas ruas se as pessoas queriam um gatinho. É claro que ninguém quis. E os gatinhos pareciam pipoca, tentando sair da panela. Foi um perrengue, eu e minha esposa, até chegar em casa, tentando colocar os gatos para dentro da caixa.

Demos leite, colocamos cartazes com fotos na cidade toda e no jornal local e, enfim, não foi muito difícil doar os 5 gatinhos em 1 semana.

É, eu disse 5 sim, pois minha esposa, malandrinha, já estava arquitetando ficar com um. E eu lá, todo inocente, até que a ficha caiu e fiquei novamente com cara de pirulito.

Mas, na verdade, a essa altura eu já estava completamente apaixonado, entregue, rendido por aqueles bichinhos, tanto é que eu disse que se fosse para ficar com um, deveríamos ter ficado com 2, para serem companheiros. Mas, por uma felicíssima coincidência, ontem a noite adotamos mais um, o Amalfi, em homenagem à Costa Amalfitana, lugar que eu e minha esposa tanto amamos.

Eu nunca pude imaginar que eles seriam tão limpos, higiênicos, sem cheiro forte, antialérgicos… rs , realmente ideais para se ter dentro de casa.

Bom, o nosso filho, sim, é o nosso filhinho, chama-se Lugano, nome escolhido por uma amiga nossa, a Cláudia.

Ele é o rei da casa, dorme em nossa cama, no ar condicionado, e tudo mais o que tem direito. Tem até um castelo, o schloss hohenschwangau, só dele, que em breve terá que dividir com o irmãzinho.

Essa é a minha história de superação, pois como uma veterinária disse que aconteceria, a minha trágica alergia foi curada em uma semana, pelo meu próprio organismo.

E a história de amor desconhecido se deve ao fato de não sequer imaginar que pudesse amar tanto um bichinho desses. O Luganinho simplesmente mudou a nossa vida, a minha e a da minha esposa. Ela é completamente, loucamente, endoidecidamente apaixonada por ele……..mesmo ele sendo, como ela mesmo diz, um “peste dos inferno”!

E se você tem uma história em que salvou um bichinho, participe de nossa Promoção e envie para o e-mail: promocao@petmedcirurgica.com.br sua história! Leia o regulamento na página Promoções do BLOG 

Você que é cliente e quer ajudar nosso projeto de responsabilidade animal, compre um adesivo da campanha:

6 Comentários

Arquivado em Campanha Responsabilidade Animal, PROMOÇÃO

Vida Animal – Uma luta emocionante para viver! Esta é a história de Foliska!

Poderia ser mais uma das 10 milhões de histórias de animais de rua que nunca encontram um dono. Vocês sabiam que 1 em cada 10 animais de rua encontram um lar? Muito… pouco! E a Pet Med luta para que isso acabe, luta pela responsabilidade animal.

Um certo dia a então agora chamada Foliska entrou na nossa vida! Junto com ela vieram preocupações e alegrias! Sim, ela precisava de cuidados pois era uma gata de rua!

Foliska foi o nome dado pois ela era uma gatinha de cor preta, igual aqueles foliscos  que caem na época da queima da cana de açúcar. E como esses folisquinhos chegam, vão sutilmente caindo em todos os lugares do ambiente e acabam ficando nas nossas vidas. Foliska também ficou!

Acho que é a gata mais amorosa que já vimos e então ela  foi conquistando um a um.

Logo que chegou tinha um corpo estranho, uma barriga saliente, era muito magra e tinha algumas falhas na pelagem que achamos que era alguma dermatite. Pensamos: ou era verme ou ela estava grávida!!!

O tempo passou demos vermífugo e o corpo ficou uniforme, digno de uma gata linda como era Foliska.

Só que a barriga continuou a crescer, e dois meses após a chegada dela, com a barriga quatro vezes maior, ela já não conseguia mais pular nas nossas mesas direito. Foi então que veio a preocupação: será que a doença da pelagem vai atrapalhar o nascimento dos filhotes. E foi então que dia 21/11 resolvemos levá-la ao veterinário!

Fomos em Piracicaba, cidade vizinha, na clínica Reino Animal  e fomos atendidas pelo Dr. Fernando. Ele ficou conosco quase uma hora dando atenção a Foliska. Contamos a história dela, a garra por ter chegado até ali e todo o amor que ela já tinha conquistado em nós todos da Pet Med.

Dr. Fernando ficou apaixonado pela Foliska, como ela era carinhosa e generosamente fez uma consulta incrível e gratuita dizendo que por todos os sintomas ela deveria ter seus filhotes em menos de 24 horas e questionado sobre a quantidade da ninhada ele disse, meio duvidoso:

– Estou sentindo 4 filhotes, mas pode ter mais ou menos, depende da posição deles.

Dr. Fernando alertou sobre o stress que a viagem até Piracicaba causara na Foliska e disse que a pelagem voltaria ao normal após a amamentação, pois como qualquer outra mãe, a Foliska estava dando todos os nutrientes ingeridos aos seus filhotes.

E foi assim que voltamos ao trabalho na Pet Med, curiosas para ver o nascimento dos filhotes de Foliska.

Em menos de 24 horas, Foliska subiu em uma das mesas e quando percebemos as contrações já era tarde, a bolsa havia se rompido e estávamos já com o ninho pronto para assistir a mais bela experiência das nossas vidas, o nascimento de 4 lindos gatinhos no dia 22/11/2012!!!

A equipe Pet Med tem muito orgulho da Foliska e de seus filhotinhos lindos. E o melhor, todos eles já terão casas e ela após a amamentação será castrada para viver ainda mais feliz e tranquila conosco.

E como esta história feliz, gostaríamos que muitas outras histórias de animais pudessem continuar como essa, com um final feliz!!!

Se você não tem como adotar ou resgatar um animal, pode ajudar de outra forma na nossa campanha de responsabilidade animal junto ao seu pedido de compra na Pet Med:

E se você tem uma história em que salvou um bichinho, participe de nossa Promoção:

3 Comentários

Arquivado em Artigos, Campanha Responsabilidade Animal, Doação de animais, Saúde Animal

Responsabilidade Animal – Nova Campanha da PET MED com matéria exclusiva com a Sra. Neusa, uma protetora de animais.

A Pet Med foi até o abrigo da Neusa, uma protetora de 33 cães e fez uma entrevista com ela para que nossos clientes conheçam o motivo de nossa Campanha de Responsabilidade Animal.

Matéria realizada no dia 7 de novembro 

01-   Bom dia, Sra, Neusa, obrigada por mostrar o seu trabalho e gostaríamos de começar com a seguinte pergunta:

   – A Sra. acredita que hoje em dia a proteção dos animais se tornou uma moda, as pessoas acham legal dizer que são “Protetores de Animais”, mas o que exatamente é para você ser uma “Protetora de Animais”?

Sim! Acho que virou modismo sim, porem existem pessoas que levam a sério o que fazem, outras apenas para aparecer na mídia ou sociedade, mas também o mundo esta mudando e aos poucos (muito pouco) as pessoas estão se conscientizando. Ser uma protetora pra mim é cuidar, dar muito amor e carinho, e cuidados básicos, deixar sempre água e comida fresquinhas.

Na verdade, foi uma necessidade, há cinco anos meu pai sofreu um infarto e veio morar comigo. Ele tinha na época cinco cães e juntando aos que eu tinha mais dois, fiquei com sete cães. E então foi aparecendo um a um e outros foram jogados pelo meu muro, alem disso pessoas que diziam que iam me ajudar deixavam animais comigo e eu por ter dó dos pequeninos acabaram ficando, alguns foram doados, e os outros estão comigo até hoje.

02-   O que o governo/prefeito faz pelos animais da cidade? Eles ajudam a Sra.?

Nada! Ajuda? Nenhuma!

 03-   Você dá nomes aos seus bichinhos? Nos apresente eles para mostrarmos ao mundo o seu exemplo?

Sim, todos eles tem nome, prontuário com fotos onde anoto todas os acontecimentos, medicação, problemas de saúde ,

Os nomes das crianças são:

Fêmeas: Luly, Valentina, Zhora, Misty, Chispita , Gwen, Amora, Pedrita, Toninha, Tirica, Lora, Mulan, Bayle, Boneca, Lua, Princesa, Bela, Tumalina e Petunia

Machos: Shun, Shaine, Alfe, Glutão, Balto, Aladin, Rocco, Gambao, Guerreiro, Caputino, Buck, Buba, Ike, File e Estopinha.

Passou dos 29 que era  a última contagem agora tenho 33!

04-   Como a Sra. consegue se manter mensalmente?

Após algumas reportagem no jornal da cidade, onde foi  feita uma matéria para adoção, algumas pessoas se disponibilizam a doar ração. Tenho também dois adotados a distância, mas mesmo assim preciso sempre comprar com meu salário e acabo me endividando. Também tem alguns que precisam de cuidados especiais e tratamentos e ainda não conseguir resolver todos os problemas.

05-   O que a Sra.  precisa para continuar esta luta?

De um espaço maior onde eu pudesse cuidar deles com mais dignidade para eles e para mim ,  onde houvesse separações de acordo, como se deve ser e que os governantes tomassem consciência do problema no geral e dessem um pouco mais de atenção a eles.

Para ajudar esta protetora e muitos outros casos que tratamos na cidade de Rio das Pedras, a PET MED lançou a campanha de Responsabilidade Animal e convida os seus clientes a comprarem o adesivo junto com os seus pedidos mensais para podermos ajudar cada vez mais esta e outros protetores:

06-   Se pudesse dar as diretrizes para melhorar a condição dos animais de rua, quais as três principais coisas que faria primeiro?

Ambulatório médico, para cuidar dos animais machucados e atropelados, castração em massa, plantão de veterinários e conscientizar a população.

07-   Quer deixar um recado para os cidadãos de sua cidade e do mundo?

Sim, não comprem animais pois existem muitos sem lares.

É preciso essa conscientização e o maior de todos NÃO ABANDONE, tenha consciência que ao adotar um animal seja ele qual for, ele dura muito tempo: cão 15 anos, gato 20 anos , cavalo 30 anos e ai por diante.

Por isso pensem bem antes de tomar uma decisão, o homem domesticou o cão de uma tal forma que ele acabou se tornando parte da família, por isso ao abandonar um cão, pense talvez um DIA ALGUEM PODE FAZER O MESMO COM VOCÊ.

Recado  da PET MED para a protetora Neusa: Segundo John Richardson Jr. existem 3 tipos de pessoas:  As que fazem acontecer, as que deixam acontecer e as que perguntam o que aconteceu, com certeza você está entre as que fazem acontecer e gostaríamos de dizer que o que motivou a campanha de Responsabilidade Animal da Pet Med, além de todas as crueldades que existem no mundo, foi ver a sua fibra e determinação para ajudar os animais, mesmo tendo pouca ajuda dos governantes. Pode contar conosco!

Para ajudar entrem em contato conosco através do e-mail: contato@petmedcirurgica.com.br ou qualquer outra rede social e Blog da Pet Med.

Muito Obrigado!

Equipe Pet Med

Deixe um comentário

Arquivado em Campanha Responsabilidade Animal, Divulgação, Doação de animais

Manuela, a cadelinha que superou o sofrimento e encontrou o amor!

Após cair de uma laje em Santos, Manuela teve fratura exposta e ficou agonizando durante 15 dias!

O tratamento surpreendeu a todos e a sorte bateu em sua porta!

A história dela foi vista pela mãe de uma veterinária pela TV, que avisou a filha que acabou vendo o caso pela internet e adotou a cadelinha.

“Ao conversar com a filha, que viu a história pela internet, resolveu adotar”, conta a responsável pelo Coordenadoria de Proteção a Vida Animal (Coprovida)


A adoção tinha uma condição, que a Manoela fosse adotada junto com sua irmã, a Bombom!

Os antigos donos de Manuela foram intimados a comparecer na Coprovida. Segundo Leila, a coordenadora da organização, o dono do animal não chegou a olhar para a cachorra nem procurou saber como ela estava. Pela atitude, ele acabou recebendo uma multa de R$ 1 mil por maus-tratos aos animais e omissão de socorro.

Leia mais em G1 Santos.

Manoela agora brinca e corre normalmente em suas duas patas e este caso de responsabilidade animal nos traz vários pontos importantes a serem discutidos:

– A consciência quando se quer ter um animal.

– Os cuidados na residência para se ter um animal.

– A bondade e maldade de certas pessoas, que devem ser apoiadas e punidas.

– A importância da internet e outros veículos em divulgar a responsabilidade pelos animais de cada cidadão.

Fonte: G1 SANTOS

Foto: Nirley Sena/A Tribuna de Santos

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos

300 Cães e uma “quase” linda história. A Pet Med apoia a Responsabilidade Animal!

Qual o preço da bondade?  Será que eu posso ajudar mais? O que os vizinhos pensarão de mim? Eu vou conseguir sozinha? Será que arrisco pegar mais um bichinho para cuidar?

Essas perguntas passam na cabeça de muitas pessoas diariamente e geralmente por vários motivos externos as próprias vontades, as pessoas desistem de ajudar nossos queridos amigos.

A Pet Med dá um conselho para toda esta angústia: Ajudem!!!! Ajudem da maneira que puderem! Ajudem de forma consciente para poder ajudar sempre. A maior questão é a conscientização dos próprios donos, pois eles precisam cuidar de seus animais de estimação com muito carinho. Não podem ter um animalzinho apenas pelo impulso de ter, caso contrário acontece o pior. Vejam nesta reportagem abaixo a linda história de um casal que abre mão de sua vida para cuidar de 300 cachorros de rua e conta com ajuda até de restos de merenda escolar para alimentar os cachorrinhos!

http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2012/08/27/para-alimentar-300-caes-casal-recolhe-restos-de-merenda-em-escolas-no-interior-de-sao-paulo.jhtm

Reportagem de José Bonato
Do UOL, em Ribeirão Preto (SP)

Deixe um comentário

Arquivado em Saúde Animal